A Secretaria Municipal de Saúde divulgou nesta terça-feira (14) que casos de doenças transmitidas pelo Aedes aegypti diminuíram 98,9% em Araripina. Segundo a secretaria, o resultado é fruto de um trabalho rotineiro no combate ao Aedes aegypti, mosquito transmissor da dengue, zika vírus e chikungunya.

A secretaria informou ainda que iniciou a gestão de 2017 com um índice de infestação de 6,6% – considerado risco de epidemia pelo Ministério da Saúde. Atualmente, com os trabalhos desenvolvidos, esse índice caiu para 2,1%.

De acordo com o levantamento, comparando o número de casos das três doenças notificadas no primeiro semestre deste ano com o do mesmo período de 2016, onde foram registrados 1.634 casos, houve uma redução de quase 99% nas notificações. Este ano, foram registrados em Araripina apenas 18 casos de dengue, zika e chikungunya.

“Tivemos uma redução grandiosa no número de casos notificados este ano e esse resultado é fruto de um trabalho diário dos agentes de endemias, do comitê de arboviroses, das palestras educativas como a implantação do Programa Saúde na Escola – em parceria com a Secretaria Municipal de Educação, como também da comunidade que tem se empenhado no combate ao mosquito transmissor da dengue, zika vírus e chikungunya”, disse Álvaro Salvador, secretário de Saúde.

Embora tenha sido registrada a redução no número de casos das doenças, a sociedade não pode se acomodar e os cuidados devem ser mantidos o ano inteiro para que não haja a proliferação do mosquito.

 

Cuidados importantes

  • Mantenha bem tampados caixas d’água, jarras, cisternas, poços ou qualquer outro reservatório de água.
  • Mantenha as lixeiras tampadas e secas. Nunca jogue lixo em terrenos baldios.
  • Coloque no lixo todo objeto que possa acumular água. O lixo deve ser colocado em sacos plásticos bem fechados.
  • Lave os bebedouros de animais com uma bucha pelo menos uma vez por semana e troque a água todos os dias.
  • Cubra e guarde os pneus em locais secos, protegidos das chuvas.
  • Guarde as garrafas secas de cabeça para baixo e não deixe no quintal objetos que acumulem água.
  • Encha os pratinhos de plantas com areia.
  • Retire a água acumulada sobre a laje.
  • Mantenha as calhas d’água limpas.